Laser, Leds e DTM

Diagnóstico e abordagens das dores orofaciais na infância e adolescência, baseados em evidências

Profa. Dra. Sandra Kalil Bussadori

  • Mestre e Doutora pela FOUSP
  • Pós-Doutora em Ciências pelo Departamento de Pediatria e Ciências Aplicada à Pediatria da UNIFESP/EPM
  • Professora dos Programas de Mestrado e Doutorado em Ciências da Reabilitação e em Biofotônica Aplicada às Ciências Saúde da Universidade Nove de Julho
  • Coordenadora dos cursos de Especialização em Odontopediatria APCD/FAOA/IESP/SP
  • Profa Titular da Clínica Infantil/UNIMES

Profa. Dra. Lara Motta

  • Doutora em Ciências da Saúde pela UNIFESP
  • Mestre em Ciências da Reabilitação pela UNINOVE
  • Especialização em odontopediatria pelo SOESP
  • Especialização em Dor pelo Hospital Albert Einstein
  • Habilitação em Laserterapia pela UNINOVE

 

Prof. Dr. João Paulo Tanganeli

  • Coordenador de Pós graduação em DTM e Dor Orofacial- FAOA/APCD
  • Diretor do Depto de Dor Orofacial APCD
  • Pós Doc em Biofotônica
  • Doutor em Odontologia- área de concentração: laser
  • Mestre em Morfologia Especialização em DTM e Dor Orofacial e OFM

 

  • DTM e Dor Orofacial – conceitos
  • Saúde baseada em evidências
  • Classificações Critérios de diagnóstico
  • Bruxismo
  • Cefaleias
  • Doenças sistêmicas
  • Tratamento (ênfase em Fotobiomodulacao)
  • Perspectivas

27 e 28 de Outubro

09h às 17h

Sobre o curso

Cada vez mais, crianças e adolescentes estão sendo acometidos por doenças típicas da idade adulta.

Pressões, redes sociais, estratégias de enfrentamento inadequadas têm causado stress contínuo, desencadeando doenças e comportamentos que podem levar a dores crônicas, comprometendo sua qualidade de vida.

Os objetivos deste curso são como identificar, tratar e encaminhar para outros profissionais de saúde, para que se possa restaurar seu bem estar.

Iremos falar sobre:

  • Como abordar e conscientizar paciente e família de seu papel fundamental neste processo.
  • Dores orofaciais agudas e crônicas;
  • Bruxismo;
  • Dores neuropáticas,
  • doenças sistêmicas com repercussão na face.
  • Protocolos de abordagem farmacológicas ou não, com ênfase em fotobiomodulação.